O que Jesus faria se fosse convidado a um casamento gay?

Recentemente, eu fui convidado para alguns casamentos gays. Então – sendo cristão e tudo mais – Eu me perguntei a famosa “O que Jesus faria?” (Coisa que não faço com freqüência, na verdade, já que Jesus podia, por exemplo, trazer pessoas a vida novamente e transformar água em vinho, onde eu malmente consigo arrastar-me da cama de manhã e/ou transformar água em café. Estou seguro em afirmar que muitas das Suas opções não são as minhas.)

Imaginar o que Jesus faria se ele fosse convidado para um casamento gay naturalmente me levou ao Novo Testamento.

E lá, encontrei estas citações:

“Ai de vós, escribas e Fariseus, hipócritas! Pois que dizimais a hortelã, o endro e o cominho, e desprezais o mais importante da lei, o juízo, a misericórdia e a fé; deveis, porém, fazer estas coisas, e não omitir aquelas. Condutores cegos! Que coais um mosquito e engolis um camelo.” (Mateus, 23:23-24)

E:

“Mas ai de vós, escribas e Fariseus, hipócritas! Pois que fechais aos homens o reino dos céus; e nem vós entrais nem deixais entrar aos que estão entrando.” (Mateus, 23:13)

E:

“Ai de vós, escribas e fariseus, hipócritas! Pois que percorreis o mar e a terra para fazer um prosélito; e, depois de o terdes feito, o fazeis filho do inferno duas vezes mais do que vós.” (Mateus 23:15)

E último, porém não menos importante:

“E o segundo é este: Amarás ao teu próximo como a ti mesmo. Não há outro mandamento maior do que esses.” (Marcos 12:31)

Quando eu tentei procurar em qualquer lugar da Bíblia onde Jesus fala qualquer coisa sobre a homossexualidade, eu aprendi que Jesus passava tanto tempo falando de gays e/ou lésbicas quanto eu passo colecionando botões e/ou cavalos marinhos: nenhum. É claro, é perfeitamente possível que Jesus tenhafalado muitas coisas crucialmente importantes sobre a homossexualidade, mas isso quando ninguém perto dele tinha uma pena de avestruz, graveto seivoso ou seja lá o que eles usavam de caneta, a mão. O que faz sentido, na verdade. Se você passou pelo menos algum tempo lendo o Novo Testamento, você sabe que os discípulos de Jesus não eram exatamente quebra-galhos. Eles eram pessoas normais que nós vemos por aí.

O que eu acho que é meio que o cerne da questão. Jesus certamente amava estas pessoas normais.

Pelo Novo Testamento, o único tipo de pessoa para quem Jesus faz uma assustadora exceção são estes mesmos “escribas e Fariseus” que nós o vemos criticando nas passagens acima. Uma coisa que normalmente se perde em nossas considerações de Jesus é quanto ele é exatamente o tipo errado de pessoa para se irritar. E você não precisa passar muito tempo no Novo Testamento antes que você entenda que o único tipo de pessoa que realmente parecem irritar Jesus são estas que põe o dogma religioso acima daquilo que ele mais defendeu, que foi o amor de Deus.

Perto de Jesus você pode resmungar, mentir, trair, estar atrasado, ser avarento, ser muito ambicioso, ser estúpido, ser um covarde, um hipocondríaco, reclamar o tempo todo, dormir sempre na hora errada – você pode não fazernada certo, e ainda assim isso não parece ofendê-lo.

Mas você faz do dogma mais importante que o amor? Você transforma a lei de Deus em uma justificação para negar a graça de Deus?

Então… Desculpas, cara. Você conseguiu um problema que ninguém neste mundo quer.

Eu não estou bem certo de porque nós comumente consideramos Jesus o macio e sonhador, estilo namby-pamby (Não que haja nada de errado em ser namby-pamby! Eu tenho um tio que é namby-pamby!) Mas é difícil que isso veio dos contos de Jesus que temos nos Evangelhos. Este não é o cara destas páginas.

Jesus é assustador quando aborrecido. E as únicas pessoas que parecem aborrece-lo são aqueles que, em Seu nome, se colocam como sacro santos juizes dos outros.

Eu acho que é melhor ir aos casamentos dos meus amigos gays. Estou quase assustado de não ir. Em algumas parábolas, Jesus não era exatamente claro como biscoito da sorte, mas ele praticamente não hesitou sobre seu “Amarás ao teu próximo como a ti mesmo.” Ele explicitamente declarou que “Não há outro mandamento maior do que esses.”

Se existe espaço para confusões aí, eu simplesmente não o vejo.

Então eu irei ir ao casamento dos meus amigos gays, com o mesmo estado de espírito que eu espero que eles venham a um evento semelhante meu. E se por ventura, durante seus casamentos ou recepções eu me perceber imaginando se estou fazendo a coisa certa, com certeza me lembrarei do primeiro milagre de Jesus gravado na Bíblia. Foi quando ele transformou água em vinho.

Em um casamento.

Print Friendly

About John Shore

John Shore (who, fwiw, is straight) is the author of UNFAIR: Christians and the LGBT Question, and three other great books. He is founder of Unfundamentalist Christians (on Facebook here), and executive editor of the Unfundamentalist Christians group blog.  (In total John's two blogs receive some 250,000 views per month.) John is also co-founder of The NALT Christians Project, which was written about by TIME,  The Washington Post, and others. His website is JohnShore.com. John is a pastor ordained by The Progressive Christian Alliance. You're invited to like John's Facebook page. And don't forget to sign up for his mucho awesome monthly newsletter.

  • eon

    Esse cara faz uma leitura seletiva do evangelho e isso fica claro na passagem sobre o mandamento do amor ao próximo… sim o amor ao próximo é importante mas primeiro vem o amor a Deus! E Deus fez quem, Adão e Eva ou Adão e IVO?

    “Porém, desde o princípio da criação, Deus os fez macho e fêmea.
    Por isso deixará o homem a seu pai e a sua mãe, e unir-se-á a sua mulher,
    E serão os dois uma só carne; e assim já não serão dois, mas uma só carne.”

    Macho e fêmea, homem e mulher. E quem disse isso? Jesus, em Marcos 10:6-8. Pois é.

    E ainda vão dizer que Jesus não ensinou nada sobre casamento gay? Ora, Jesus também não ensinou nada sobre armas químicas nem bombas atômicas, mas será que ele não ensinou nada sobre o valor da vida humana e a dignidade daqueles que são filhos de Deus?

    E não, Jesus não perde a paciência com os Fariseus por julgarem os outros, mas por se comportarem como hipócritas que pregavam aos outros coisas que eles mesmos não cumpriam. Alguém que acredita no casamento como uma instituição divina, entre um UM homem e UMA mulher, indissolúvel, até que a morte os separe, prega isso e vive isso de forma plena, de acordo com o que ensinou Jesus, está sendo hipócrita onde?

    Portanto se Jesus fosse convidado para um casamento gay ele obviamente não iria, não porque ele não gostaria que todos os gays fossem salvos (afinal de contas eles também são filhos de Deus) mas porque um casamento entre duas pessoas do mesmo sexo não é nem nunca será considerada uma união licita aos olhos de Deus. Quem ama educa, e educar não é concordar com os pecados dos outros. Gays, vivam uma vida digna e se arrependam de seus pecados. Ser gay não ofende a Deus, o que ofende a Deus é pecar continuamente e não se arrepender nunca dos próprios pecados.


CLOSE | X

HIDE | X